Por opção, foi decidido não elaborar, para já, um amplo e minucioso projecto pastoral, mas apenas insistir no dever de se cumprir, em todas e cada uma das Unidades assistidas pelos capelães, um mini-programa pastoral que passa pelos três vectores fundamentais da vida eclesial:

  1. ou promover específicas acções de formação ou encaminhar alguns militares e polícias para realizações diocesanas (Cursilhos de Cristandade, Convívios Fraternos, Cursos Alfa, catequese de adultos, retiros, formação de dirigentes escutistas, Acção Católica, etc.);
  2. celebração eucarística semanal (em dia laboral) em todas as Unidades. Nessa celebração devem ser tidas em conta as «intenções» dos participantes;
  3. programação de, pelo menos, uma acção sócio-caritativa em cada capelania (colheita de sangue, recolha de alimentos e brinquedos, apadrinhamento de alguma instituição de solidariedade social da zona, constituição da Caritas Castrense da Unidade ou de uma Conferência Vicentina, etc.).

Além disto, ao longo deste ano pastoral de 2015/16, pretendemos dar passos para a criação de um Conselho Pastoral a nível do Ordinariato e em cada uma das Unidades assistidas por capelães.