COM A PRONTIDÃO PARA ANUNCIAR O EVANGELHO DA PAZ

 ANO MISSIONÁRIO

O Papa Francisco declarou outubro de 2019 como «Mês Missionário Extraordinário», para assinalar o centenário da Carta Apostólica Maximum Illud do Papa Bento XV. Na sequência desta iniciativa, a CEP decidiu celebrar o Ano Missionário, que iniciou em outubro de 2018 e culmina em outubro de 2019.

COLABORADORES NA MISSÃO

A dimensão missionária é um âmbito onde, em determinados momentos, circunstâncias e lugares, a ação de Militares e de Agentes de Segurança se conjugou ou conjuga com a ação evangelizadora da Igreja. Como tal, este ano oferece-se como uma magnífica ocasião para recordar e promover esse elo que une Igreja e Forças Armadas / Forças de Segurança, gerado pelo comum objetivo de promover a dignidade do ser humano, a sua libertação, e concretizado em iniciativas e atividades que foram ou são autênticas ações missionárias em prol dos povos.

INSPIRAÇÃO

Inspira-nos o texto Ef 6, 14-17 que nos remete para um ambiente tipicamente Militar e de Segurança, com elementos próprios desse contexto — Couraça, calçado, escudo, capacete, espada — mas finalizado e focalizado no anúncio do evangelho: “Mantende-vos, portanto, firmes, tendo cingido os vossos rins com a verdade, vestido a couraça da justiça e calçado os pés com a prontidão para anunciar o Evangelho da paz; acima de tudo, tomai o escudo da fé, com o qual tereis a capacidade de apagar todas as setas incendiadas do maligno. Recebei ainda o capacete da salvação e a espada do Espírito, isto é, a palavra de Deus.”

Este texto de São Paulo revela dois aspetos da sua biografia:

– por um lado, que ele manteve sempre contacto com os militares romanos a ponto de, como se depreende das suas palavras, dominar na perfeição esse universo;

– por outro lado, que ele tudo colocava ao serviço do evangelho e do seu anúncio, até mesmo o equipamento militar.

O horizonte pastoral dentro do qual colocamos o presente ano será, pois, a Missão, deixando-nos guiar pela sugestão paulina: Com a prontidão para anunciar o Evangelho da paz.”

AÇÕES

 Sugestão de possíveis iniciativas a desenvolver:

  1. Em cada Unidade, poder-se-ia procurar material fotográfico, escrito ou de outro tipo que fosse testemunho de iniciativas de “caráter missionário” levadas a cabo por pessoal dessa Unidade, no estrangeiro ou localmente, e trazê-lo para o alcance e conhecimento de todos, por meio de Exposições, Conferências, desdobráveis…
  2. Nas Unidades, incremente-se o apelo para a vivência dos Sacramentos de Iniciação Cristã, com uma Catequese prévia que, em muitos casos, terá de ser kerygmatica.
  3. Promover diligências para, em outubro, haver significativa participação de pessoal militar e agentes de segurança nas iniciativas do Mês Missionário Extraordinário.
  4. Retomar a participação dos jovens militares nos encontros europeus de Taizé.
  5. Viver a PMN-A-PÉ e a PMN numa perspetiva Missionária, nomeadamente no Tema, nas Ações e nas Celebrações.

“Todos,Tudo e Sempre em Missão”